quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Mais um talento do Brasil

Ontem fui ao Theatro Pedro II. O show era: Diego Figueiredo convida Moraes Moreira. Meu amigo Ronaldo Guizzo convidou e fui com meu marido. Despretenciosamente, sentei-me num lugar maravilhoso, com uma visão privilegiada e confesso que minha ignorância musical me mantinha afastada da maravilhosa experiência que tive assim que o espetáculo começou.

Fui porque conhecia Moraes Moreira e valeu ter ído por ele também. Hoje muito mais um poeta do que cantor, e diga-se de passagem, que poeta.



Antes de começar o show teve uma apresentação de um quarteto de vozes masculinas de Araxá fantástico, cantando uma MPB gostosa, dos tempos do Clube da Esquina; uma introdução à altura do que estava por vir.

Aí entra Diego Figueiredo e seu violão. Um exímio violonista, uma simpatia e uma simplicidade que cativa a plateia de cara.

Percebo logo com quem estou lidando, porque apesar de não conhecê-lo, sei identificar boa música e bom musicista.

Minutos depois, estou buscando meu queixo, que literalmente caiu no chão. O show é ele, como disse bem o Ronaldo.

Hoje, primeira coisa que fiz, foi procurar pela biografia deste TALENTO BRASILEIRO, que é o que trago aqui. Este é um dos nossos meninos talentosos que deu certo.

Deliciem-se:

Diego Figueiredo foi um dos maiores monstros da guitarra que eu presenciei. Ele é nova geração da guitarra e tem uma maneira única de tocar. Com certeza ele dará continuidade na historia da guitarra e do jazz.



(George Benson)
“Montreux Jazz Festival 2007”


Nascido em Franca SP em 1980, aos quatro anos o pequeno Diego já fazia pose para fotos com seu violãozinho.


Com seis, ganhou um bandolim que ocupava um lugar de destaque em sua casa entre os outros instrumentos. Diego brincou com vários instrumentos antes de optar pela guitarra quando tinha doze anos de idade, já tocando em teatros e bares locais, onde já se revelava na difícil arte de improvisar e harmonizar. Aos 15, dominava palcos de teatros e casas noturnas de diversos estados brasileiros, tocando solo ou acompanhado por renomados músicos.

Durante alguns anos atuou em bandas de diferentes estilos, se aprimorando em áreas diversas na música.

Estudou violão erudito, MPB e jazz em conservatórios de Franca, Ribeirão Preto e Tatuí.

Em 1999 ganhou em primeiro lugar em guitarra na América do Sul, através de concurso, uma bolsa de estudos para Berklee College of Music onde a comissão julgadora ficou impressionada com seu estilo. Mas por outros motivos não pode desfrutar desta.

Em junho de 2001, Diego Figueiredo conquistou o segundo lugar no Prêmio Visa de MPB instrumental tendo honrosos elogios do corpo de jurados.

Foi finalista do Prêmio ICATU HARTFORD no Rio de Janeiro sendo dito pelos jurados, como um dos grandes guitarristas solo da atualidade.

Diego foi premiado duas vezes pelo maior festival de jazz do mundo “Montreux Jazz Festival” como um dos maiores guitarristas da atualidade (2005 e 2007). Nenhum outro músico brasileiro conseguiu tais premiações de nível mundial tão importante.

Ele é a maior revelação da música instrumental brasileira dos últimos anos e é o show mais requisitado para festivais no exterior.

Já se apresentou em mais de quarenta países com seu espetáculo que tem arrancado críticas nos maiores e mais importantes jornais da Europa e EUA.
Diego tem um toque único na guitarra, onde explora a música brasileira em uma fusão com o jazz. Sua música e seu jeito de tocar impressionou músicos, críticos e plateias de todo mundo.

Além de guitarrista, Diego é produtor, arranjador, orquestrador e multi-instrumentista.

Diego Figueiredo esta se apresentando nos mais importantes palcos do mundo com um espetáculo de sensibilidade, técnica e emoção que impressiona e contagia o público por onde passa.












A música aqui eximiamente executada é "Fadinho" de autoria do próprio Diego. De uma doçura e alegria que em poucos fados vi.




Fonte: www.diegofigueiredo.net/Biografia.html