quinta-feira, 10 de setembro de 2015

A importância do sono para as funções intelectuais


Padrão
A importância do sono para as funções intelectuais
Primeiramente, o sono é um comportamento vital para o organismo. É caracterizado por uma postura típica e quase nenhuma movimentação. Divide-se em dois tipos: ondas lentas e REM. Na fase de ondas lentas o cérebro trabalha num ritmo mais suave e ocorre na primeira metade da noite. A fase REM é caracterizada por movimentos rápidos dos olhos e aparece na segunda metade do sono.

A razão porque dormimos fica clara quando observamos as consequências da supressão do sono. Os indivíduos nesta condição apresentam irritabilidade, ansiedade, dificuldade de concentração, diminuição das células de defesa do organismo, o que pode aumentar a chance de se contrair infecções por vírus, bactérias e outros micro-organismos.

Pessoas com insônia apresentam um aumento da taxa metabólica tanto durante o dia como durante a noite, o que pode levar à diabetes e hipertensão.

Em crianças, três consequências da privação de sono se tornam particularmente importantes e estão diretamente relacionadas ao esquema e crescimento corporal, bem como ao desenvolvimento sexual. Apenas uma noite de privação de sono é capaz de reduzir drasticamente a secreção do hormônio GH (do inglês growth hormone, ou hormônio do crescimento), que é o principal hormônio que causa o aumento da estatura e crescimento em geral. Além disso, a privação de sono pode levar a um aumento do comportamento sexual, bem como um desenvolvimento sexual precoce.

Artigos recentes também têm demonstrado que crianças privadas de sono:

a) São mais propensas a desenvolver obesidade, o que faz com que as mesmas se tornem mais susceptíveis a todo o tipo de morbidade associada com o sobrepeso, como diabetes e pressão alta;

b) Têm um aumento importante na chance de desenvolver doença mental na idade adulta;

c) Podem ter mais episódios de sonambulismo;

d) Apresentam maiores níveis sanguíneos de cortisol, que é uma substância diretamente relacionada ao estresse;

e) Têm mais insegurança emocional, fadiga e depressão.

A memória, uma das mais importantes funções cerebrais, é particularmente afetada com a privação de sono. Dessa forma, um maior entendimento da relação entre o sono e a memória é crucial para promover o melhor aproveitamento do aprendizado escolar.

O sono tem um papel fundamental em todas essas fases. Como foi dito anteriormente, uma noite de sono mal dormida pode ter como consequência uma diminuição na atenção e na concentração. Assim, se não estamos concentrados, a aquisição das informações é prejudicada, e, por conseguinte, também o aprendizado é dificultado.

Retirado do artigo: ASPECTOS NEUROPSICOLÓGICOS DO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DA CRIANÇA: SONO, MEMÓRIA, APRENDIZADO E PLASTICIDADE NEURAL

Sérgio Arthuro Mota Rolim – Médico, mestre em Neurociências pela Universidade Federal de São Paulo, aluno de doutorado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e do Instituto Internacional de Neurociências de Natal – Edmond e Lily Safra, pesquisador do Laboratório do Sono do Hospital Universitário Onofre Lopes.

http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/?p=1292