sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Seus filhos ouvem nãos?


Padrão
Seus filhos ouvem nãos?
Criança que não ouve não em casa pode tornarse egoísta, tirânica e egocêntrica. Mais agravante ainda, por culpa exclusiva dos pais.

Em todas as suas atividades, a criança experimenta o mundo. Desde os primeiros momentos de vida até ter sua personalidade totalmente aflorada. Quem deve ajudar a trilhar este caminho são os pais. Se os pais não o fazem, a criança cobra, sendo cada vez mais agressiva, exigente, absurdamente intolerante a frustrações tornando-se um ser desagradável a terceiros. Torna-se uma ” persona non grata”. O verdadeiro estraga festa, brincadeiras, etc.

A criança avança até onde os pais permitem; até para testarem seu amor e se percebem descaso, mais audaciosas se tornam, às vezes se comportando como “pequenos marginais”. Me parece que para chamar a atenção destes, que deveriam estar dizendo-lhes mais: NÃO, ISTO VOCÊ NÃO PODE FAZER. EU TE PROÍBO POR ESTAS RAZÕES…… E manter-se firme na decisão, provando assim que se preocupa como bem estar físico e moral do seus filhos. Este tipo de não, não faz dos pais pessoas menos legais aos olhos dos filhos, pelo contrário. Faz com os filhos os vejam como adultos preocupados com eles.

Com certeza é bem mais difícil educar assim. Por outro lado, não posso afirmar que da outra forma seja estar educando. E a convivência não é um eterno não. Há muitas ocasiões em que você poderá alegremente autorizar a criança a fazer o que deseja.

É importante frisar que na vida adulta recebemos muito mais nãos do que sins e que precisamos saber lidar com frustrações e as emoções que elas nos trazem; como controla-las por exemplo e transforma-las em algo positivo para o futuro.

Ausência de não na infância pode levar a fugas de situações difíceis na vida adulta, por ter medo de enfrenta-las ou mesmo por não saber como faze-lo. O álcool e as drogas podem se tornar um refúgio bastante interessante para quem não tem as ferramentas adequadas.

Ana Margarida Jabali Marques Cirurgiã-dentista – Odontopediatra
FORP-USP – 1982 – Ribeirão Preto – SP